Carla Filipe

  • Experiência flutuante - paisagens gráficas
    Galeria Múrias Centeno, 2011

  • Experiência flutuante - paisagens gráficas
    Galeria Múrias Centeno, 2011

  • Experiência flutuante - paisagens gráficas
    Galeria Múrias Centeno, 2011

  • Experiência flutuante - paisagens gráficas
    Galeria Múrias Centeno, 2011

  • Experiência flutuante - paisagens gráficas
    Galeria Múrias Centeno, 2011

  • Experiência flutuante - paisagens gráficas
    Galeria Múrias Centeno, 2011

  • Experiência flutuante - paisagens gráficas
    Galeria Múrias Centeno, 2011

  • Experiência flutuante - paisagens gráficas
    Galeria Múrias Centeno, 2011

  • Experiência flutuante - paisagens gráficas
    Galeria Múrias Centeno, 2011

  • Experiência flutuante - paisagens gráficas
    Galeria Múrias Centeno, 2011

A Galeria Nuno Centeno, tem o prazer de apresentar a segunda exposição individual na galeria, da artista Carla Filipe. A exposição intitulada “Experiência flutuante – paisagens gráficas” reúne uma série de imagens gráficas a partir da paisagem industrial de Londres. A artista apresenta um conjunto de grafismos, desenhados a spray e rápida execução, que correspondem às características do desenho de memória. As imagens captadas na cidade, provenientes de longas caminhadas em particular na zona de Hackney (local onde a artista viveu durante a sua residência artística) são transpostas para o desenho, muito aquém da imagem referencial. Esta foi uma das formas de aprender a paisagem local, e de a sintetizar pelo excesso e saturação da grande metrópole.

Viagem, deslocação, caminhada, são modus operandi muito presentes no trabalho de Carla Filipe. Em “Desertar”(2004-07) a artista coleccionou um arquivo composto por flyers, jornais, e folhetos gratuitos, que adiciona à sua experiência nos lugares que é feita à posteriori através da (re) interpretação dessa informação transposta para o desenho.

Em “O que eles lêem – imprensa local “ e “O que os estes lêem – imprensa das comunidades” executado em painéis compostos por recortes de jornal, Carla Filipe procura aproximar-se, especialmente, das comunidades através dos seus periódicos, ainda que seja só no campo da imagem. Esta prática advém da necessidade de compreender o local, e o espaço onde habita.

 

Recorrendo a uma multiplicidade de referências como a viagem virtual, na sua publicação “An ilustrated guide to the british railway to my study”(2010) opta pela viagem via internet, em contraponto com a experiência do lugar onde cria um capítulo só com fotografia a que chama de “ trabalho de campo – The proof i ´ve been there”.

Nesta pluralidade de imagens, a imagem com má qualidade “sacada” da internet, a imagem fotográfica, o texto, ou a imagem gráfica dão-nos assim várias possibilidades na representação destas experiências e na compreensão do lugar. É isso que se pede a um “ viajante flutuante que se deixe permeabilizar “ citando as palavras da autora.

 

Carla Filipe nasceu em Aveiro, 1973, vive e trabalha no Porto. Licenciada em Artes Plásticas-Escultura pela Faculdade de Belas-Artes da Universidade do Porto e mestre em Práticas Artísticas Contemporâneas pela mesma instituição, foi bolseira da Fundação Calouste Gulbenkian em Londres. Recentemente Carla Filipe integrou 2 dos mais prestigiantes eventos internacionais a Bienal de Jafre a convite da Curadora Carolina Grau e a Manifesta a convite do colectivo curatorial Tranzit.org.

 

Começou a expor no início dos anos 2000, destacando-se as seguintes exposições individuais: Kunstahalle-Lissabon; Quem espera é pobre, Galeria Reflexus, Porto, 2009; Desertar, InTransit, Porto, 2007; Without Name, Galeria Quadrado Azul, Porto, 2005. Da sua participação em inúmeras exposições colectivas destacam-se: Part-ilha, Spike Island, Bristol, 2008; Busca Pólos, Centro Cultural Vila Flor, Guimarães e Pavilhão de Portugal, Coimbra (co-produção com o Museu de Arte Contemporânea de Serralves, Porto), 2006; Toxic – O Discurso do Excesso, Terminal e Plano 21, Oeiras, 2005; O Homem Invisível, ZDB, Lisboa, 2004. De salientar também a sua actividade associativa no desenvolvimento e programação dos espaços alternativos da cidade do Porto.

http://www.artecapital.net/recomendacoes.php?ref=470